Carregando... Aguarde...
Home
AVES A VENDA
BOURKE
CABEÇA DE AMEIXA
CACATUA
CALOPSITA
CATARINA
ECLETUS
ESPLENDIDO
FORPUS
GRANDE ALEXANDRE
KAKARIKI
LORIS
MOUSTACHE
PAPAGAIO DO CONGO
RED RUMPED
RING NECK
ROSELAS
TURQUASINE

Newsletter


ESPLENDIDO

545.jpg

 O PARENTE QUIETINHO
Ele é originário do mesmo país dos "falantes" periquitos australianos. No entanto, conserva algumas características próprias, bem diferentes dos hábitos dos seus "parentes".

Muitas pessoas quando pensam num periquito, imediatamente já o associam àquela ave barulhenta e bem disposta. O Esplêndido, ou cientificamente conhecido como Neophema splendida, apesar de pertencer à mesma família dos periquitos, ou seja, a dos psitacídeos, é um "parente" de certo modo atípico. Dono de um temperamento calmo, é considerado por muitos criadores, uma ave reservada e até, por que não, tímida.
O Esplêndido tem como habitat os bosques de eucaliptos ou grupos de determinadas árvores que crescem ao longo de cordilheiras de pedras, sobretudo no sudoeste do interior da Austrália, seu país de origem. Extremamente dócil e quieto, ele passa a maior parte do tempo no chão ou em arbustos baixos procurando por sementes. Ainda falando sobre seus hábitos lá "pelas bandas da Austrália", podemos constatar que ele geralmente é encontrado longe da água. Alguns estudiosos afirmam que é no orvalho das plantas ou ao mastigar espécies de vegetação ricas em água, que o Esplêndido "mata a sua sede" e repõe líquidos. Ele é freqüentemente encontrado em pares isolados ou em pequenos grupos, que não costumam exceder dez exemplares.

 
    
    
Galeria de Fotos
    
Troca de informações
Guia de Criadores
Links Úteis
Doações
      
AMEAÇA SUPERADA
Há cerca de 50 anos, o Esplêndido esteve próximo da extinção. Entretanto, graças a um criador inglês que preservou a espécie em cativeiro, hoje o Esplêndido não corre mais esse risco. Sorte de quem tem a oportunidade de conhecer um. A beleza do Esplêndido faz justiça ao nome. Medindo de 19 a 22cm, essa espécie apresenta cores vivas e brilhantes, numa mostra de "bom gosto da natureza". O macho possui a face e as asas azuis, o peito vermelho e a barriga amarela. As partes superiores da cabeça e das costas são de um tom esverdeado. A exemplo do que ocorre com outras espécies, a fêmea não possui um colorido tão brilhante. Outra característica que a difere do macho é a cor do peito, que ao invés de vermelho é esverdeado. É bom lembrar que as cores definitivas são consolidadas apenas no segundo ano de vida.
O Esplêndido é uma companhia bastante agradável para quem aprecia pássaros bonitos e calmos, pois ao contrário do som característico de outros psitacídeos, seu canto é transmitido por suaves trinados. Além disso, é uma ave de pouca atividade: normalmente não é daquelas que fazem estripulias ou muito barulho na gaiola.
Mesmo sendo ave que se reproduz sem dificuldades (veja box), o Esplêndido ainda é pouco difundido no Brasil. Sua criação aqui é recente e a introdução dos primeiros casais data de aproximadamente dez anos. Talvez o fato de se depender do interesse de criadores sem realizar muitas importações para melhorar a qualidade do plantel nacional resulte no reduzido número desse pássaro no país.
PARA SUA INFORMAÇÃO
Alimentação: constituída basicamente por grãos, milho verde, verduras e frutas. Ele ainda aceita a farinhada de canário.
Criação e reprodução: A reprodução do Esplêndido não tem segredos. Normalmente ocorre de agosto a janeiro, dependendo das condições climáticas e da alimentação. Com um ano de idade esse passarinho já está apto a se reproduzir. A fêmea põe de três a cinco ovos, raramente seis, que são incubados por ela durante um período de 18 a 20 dias. O ninho utilizado por essa espécie é a conhecida caixinha de madeira, à venda em lojas especializadas. O Esplêndido pode ter de duas a três posturas por ano. Recomenda-se colocá-lo numa gaiola preferencialmente de, no mínimo, 60 x 60 x 60 cm. Macho e fêmea podem viver juntos sem problemas. É aconselhável colocar a gaiola longe de correntes de vento e em local que permita pegar o sol da manhã. O Esplêndido está bem adaptado ao clima do Brasil. Contudo, é importante ressaltar que ele é muito sensível a mudanças bruscas de temperatura, podendo adoecer gravamente a até morrer.